Ultimas Novidades

quinta-feira, 9 de março de 2017

Violência doméstica foi tema de projeto na Escola "Maria Marques de Assis"



No Dia (08) Internacional da Mulher foi realizado a primeira etapa do Projeto Eu, cidadão! Os temas para estudos e reflexões foram a igualdade de gênero e violência doméstica. As temáticas foram trabalhadas com os estudantes do 9 Ano na disciplina de História, da Escola Municipal “Maria Marques de Assis”- São Domingos-PB.



O objetivo foi chamar a atenção dos alunos para a violência que ainda acomete muitas mulheres no país e quais as formas para combater esse mal. A violência doméstica é um tema bastante atualizado e instigante que atinge milhares de mulheres e crianças, adolescentes e idosos em todo o mundo, decorrente da desigualdade nas relações de poder entre homens e mulheres, assim como, a discriminação de gênero ainda presente tanto na sociedade como na família.

Foi elaborado um mapa conceitual com estatísticas e dados alarmantes sobre o aumento da violência domestica no Brasil.


No segundo momento, foi exibido uma reportagem do STF cidadão sobre a vida de Maria da Penha e a luta para o governo brasileiro reconhecer  a violência doméstica como crime. A Lei n. 11.340, sancionada em 7 de agosto de 2006, passou a ser chamada Lei Maria da Penha em homenagem à mulher cujo marido tentou matá-la duas vezes e que desde então se dedica à causa do combate à violência contra as mulheres.





No terceiro momento, os alunos foram distribuídos em 6 equipes para estudos de casos de violência doméstica. Com a atividade os alunos perceberam  que a violência doméstica não é marcada apenas pela violência física, mas também pela violência psicológica, sexual, patrimonial, moral dentre outras, que em nosso país atinge grande número de mulheres, as quais vivem estes tipos de agressões no âmbito familiar, ou seja, a casa, espaço da família, onde deveria ser “o porto seguro” considerado como lugar de proteção, passa a ser um local de risco para mulheres e crianças.



As 6 história foram as seguintes:

 HISTÓRIA 1    
Maria é uma mulher casada mãe de dois filhos, e como a maioria das mulheres trabalha fora, e quando chega em casa ainda tem de cuidar da casa e dos filhos. Seu casamento era estável, mas há cerca de uns meses passou a ter problemas, pois o esposo está muito nervoso é agressivo .

Tudo começou quando ela chegou mais tarde em casa em vista da greve de ônibus de sua cidade. No entanto, seu esposo, desconfiado, implicou com isso e começou a gritar com ela. No meio da discussão ele a agrediu, jogou-a no chão e a surrou. Desde então diz que homem que é macho cuida do que tem, e a cobra quando o serviço doméstico não o satisfaz. Maria está assustada diante da situação, pois ele está cada vez mais rude, sendo que as agressões tornaram-se a repetir. Ela não sabe o que fazer, pois não quer nunca se separar do marido, sobretudo, porque pensa nos filhos.

HISTÓRIA 2

Susana tem um filho de 11 anos, Henrique, que é muito criativo e cheio de energia. Entretanto, ele está sempre tendo problemas na escola por uma coisa ou outra. O marido de Susana, João, geralmente a culpa pelo mau comportamento do filho, dizendo que ela gasta muito tempo em seu trabalho, quando deveria estar em casa, cuidando de Henrique. Um dia, Susana e seu marido entraram em uma discussão e ele bateu nela. Machucada e nervosa, Susana deu uns tapas em Henrique, dizendo que ele era um filho ingrato que só lhe trazia problemas.

HISTÓRIA 3

Maria namora Ricardo há poucos meses. Recentemente, Ricardo começou a questionar o seu comportamento. Ele sempre pergunta a Maria com quem ela conversa na aula, por que ela não estava em casa quando ele ligou e por que ela passa parte do seu dia conversando com suas amigas, quando poderia estar com ele. Maria tenta não dar muita atenção a estes comentários, mas ultimamente Ricardo tem falado de forma rude e muito nervoso. Tem xingado e gritado com ela nos corredores da escola e depois pede desculpas. Na noite passada, ele bateu nela. Ele diz que está chateado porque ele a ama, mas ela “o deixa louco” de ciúmes.

HISTÓRIA 4

Fernanda mal tinha começado o Ensino Médio quando conheceu João. Ele era diferente dos outros caras que ela já tinha conhecido. Foi o primeiro amor da vida dela e ela queria passar todo seu tempo livre com ele. Parou de sair com suas amigas e as suas notas caíram. Ela estava mentindo constantemente para seus pais sobre com quem estava e, por isso, não poderia vê-lo o tempo todo. Ele era muito ciumento e Fernanda não poderia ter nenhum amigo homem sem que ele ficasse com raiva. Depois de saírem por dois meses, eles começaram a brigar muito porque ela não queria transar com ele. Um dia eles tiveram uma briga feia e ele bateu nela.


HISTÓRIA 5

Ana tem 21 anos de idade e mora numa cidade turística. No ano passado, ela conheceu um estrangeiro, banqueiro, com quem começou a namorar. Ela não contou sobre o namoro para sua família. Apesar de ser mais velho, ela gostava de sair com ele, especialmente quando ele levava para restaurantes caros e boates chiques. No fim de sua viagem, ele a convenceu a acompanhá-lo a seu país de origem. Ele prometeu que seria fácil conseguir um emprego, e Ana aceitou o convite. Depois de chegar lá, ele imediatamente pegou seu passaporte e mostrou-se extremamente controlador, e às vezes fisicamente agressivo. Ela também descobriu que ele não era banqueiro e que não tinha muito dinheiro. Ana se sentiu muito isolada, sem amigos ou família e sem conhecer a língua local. Ele a pressionou para trabalhar como stripper, um trabalho duro, e que incluía ofertas diárias para se prostituir.   

HISTÓRIA 6

Joana têm 39 anos e é casada há 17 anos com um homem de 51 anos. Seu esposo controla aonde ela vai, com quem fala, e o que fala. Em vista do ciúme, ele já a agrediu várias vezes, sendo que já agrediu também a filha mais velha que foi defender a mãe.

Joana não sabe o que fazer, pois depende financeiramente do marido. Ela teme o deixar e os filhos passarem necessidade. Ela está em dúvidas de que providências tomar para amenizar esta situação.

Pontos para a discussão:  

1) Descrever uma definição de violência, refletindo sobre o que isto significa para o grupo.

2) Apontar as ações e/ou atitudes discriminatórias, bem como as consequências desvantajosas para o discriminado para cada uma das histórias propostas.

3) Identificar decisões e/ou soluções para o caso. 

4) Alguma pessoa, seja homem ou mulher, “merece” apanhar ou sofrer algum tipo de violência? Por quê?

5)Quais os diferentes tipos de violência apontados nas histórias?

6) Introduza a ideia (a partir das definições levantadas pelo grupo) de que os atos de violência podem ser divididos em três categorias: física, emocional/ psicológica e sexual. Dessa forma, solicite que os grupos façam essas associações com as respectivas histórias apresentadas.

7)Existem violências que estão relacionadas ao sexo da pessoa? Qual o tipo de violência mais comum praticada contra as mulheres?

8)O que você aprendeu com esta atividade? Você aprendeu alguma coisa que poderia ser aplicada em sua própria vida ou relacionamentos?  

Os resultados dos estudos de caso serão apresentados e debatidos no na próxima semana.

Quero agradecer a todos os alunos pela atenção e empenho pelo trabalho e questionamentos apresentados.

Nenhum comentário :

Postar um comentário