Ultimas Novidades

sábado, 27 de fevereiro de 2016

É hoje!!! O blog completa 3 Anos!!!!


Hoje, o blog está completando três anos e eu só tenho que agradecer a todos vocês por acreditarem nesse projeto! Ter um blog não é fácil, mas a vontade de compartilhar experiências e incentivar despertar nos alunos o desejo pelo conhecimento é uma tarefa constante e agradável.

O blog foi criado com o intuito de oferecer aos alunos uma ferramenta complementar para contribuir nos estudos relacionados a disciplina de História e temas transversais . O blog disponibiliza de resumos, slides, vídeos, atividades, promoções, projetos educativos, arquivos, mural de recadinhos , formulário de contato, publicação dos trabalhos escolares e informações sobre as atividades e eventos realizados na rede educacional do município de Cajazeirinhas e São Domingos.

Deixo aqui  o  meu  agradecimento a  cada  leitor, a  cada  amigo  que   veio, fez críticas,  deixou  comentário, compartilhou ou  apenas  torceu  para  que  tudo  desse  certo!  Obrigado mais uma vez pela atenção e carinho!

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Atividade diagnóstica sobre a prática do bullying no contexto escolar.



No dia 26 de fevereiro teve início a realização da atividade diagnóstica sobre a temática do Bullying no contexto escolar. O objetivo da atividade foi averiguar a ocorrência ou não de bullying na Escola Municipal “Maria Marques de Assis”- São Domingos-PB, buscando diagnosticar esta realidade escolar para que se seja planejado e desenvolvido ações  de intervenção em todas as disciplinas do currículo escolar.  Participarão da atividade todos os estudantes nas séries finais do ensino Fundamental . 

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Projeto Bullying: não curto essa ideia!



No dia 25 de fevereiro foi apresentado o projeto, Bullying: não curto essa ideia, aos alunos das séries finais da Escola Municipal “Maria Marques de Assis”- São Domingos, com a exposição do conceito de bullyng, identificação da problemática escolar e cronograma das atividades que serão desenvolvidas durante o primeiro semestre do ano letivo.


Atualmente o bullying é um dos principais desafios da rotina escolar. Bullying é o nome usado para conceituar todos os atos de violência psicológica ou física intencional e repetitiva, com o objetivo de intimidar ou agredir o individuo incapaz de se defender, causando muitos sofrimentos, levando a vitima ao isolamento e ou a agressividade

O projeto intitulado Bullyng: não curto essa ideia tem o objetivo central de orientar a comunidade escolar acerca da prevenção e combate a prática de bullying na escola, através de campanhas e atividades educativas, informativas e de conscientização.


O projeto visa também cumprir a Lei nº 13.185 que prevê a realização de campanhas educativas. A referida lei determina que será considerada intimidação sistemática (bullying) todo ato de violência física ou psicológica, intencional e repetitivo que ocorre sem motivação evidente, praticado por indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidá-la ou agredi-la, causando dor e angústia à vítima, em uma relação de desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas.


O projeto ,Bullying: Não curto essa ideia,  visa estimular também  o respeito às diferenças dentro e fora do âmbito escolar. Ao socializa-se e ao aprender, a criança tem diálogo com os pais e professores, irmãos, colegas.  Este projeto é uma prática educativa, democrática e saudável, contribuindo com a formação da cidadania e colocando em discussão as diferentes relações de gênero, raça, etnia e toda e qualquer desigualdade que ocorra no dia a dia escolar.


O projeto foi desenvolvido para demonstrar o compromisso, seriedade e a responsabilidade na tentativa de garantir as crianças e adolescente o direito à educação de qualidade através de conceitos, valores, habilidades e competência com o desenvolvimento da dignidade, caráter, socialização escolar e civil com cidadania.



sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Dia de Mobilização Nacional da Educação pelo Combate ao Aedes aegypti.



Hoje (19) nas Escolas de todo o país fazem um dia de mobilização nacional da educação pelo combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, da febre chikungunya e do vírus Zika.


 A Escola Municipal “Maria Marques de Assis” promoveu ações específicas que  envolveram professores, diretores, funcionários e alunos. Através da sala de aula podemos manter informado os alunos levarão para dentro de casa uma nova atitude. O dia é pra todo mundo parar e refletir, mas vai ter que ser uma campanha permanente. A campanha de conscientização e orientação para o combate aos criadouros do mosquito vai continuar durante todo o letivo.


Os alunos da turma do 9 ano tiveram a oportunidade de aprofundar os conhecimentos sobre a origem, causa, sintomas e métodos de combate ao Aedes aegypti. Os alunos participaram também do QUIZ sobre o tema. Os alunos perceberam a importância dos cuidados com a saúde, distinguir diferentes formas de prevenção da Dengue, reconhecer o seu papel social como cidadão responsável e participativo, valorizar as ações de cada um como contribuição para a vida das pessoas na sociedade.


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Campus Sousa lança edital para auxílios estudantis



Os estudantes que desejam participar dos Programas Moradia, Alimentação e Transporte do campus Sousa do IFPB já podem consultar o edital que foi lançado no dia 03 de fevereiro do corrente ano com as regras de concessão dos benefícios. As inscrições para o total de 540 vagas acontecem entre os dias 15 e 19 de fevereiro nas unidades Sede e São Gonçalo (consultar item 7 do edital). São 120 vagas para moradia, 120 para alimentação e 300 para transporte; 5% do total foram reservados para pessoas com deficiência. Os auxílios promovem o acesso e a permanência do estudante na instituição de ensino, princípio da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB).

Para concorrer, é preciso entregar os seguintes documentos na Coordenação Geral de Assistência ao Educando: formulário de inscrição preenchido e assinado com foto 3x4 recente; comprovante de renda familiar; documentos para comprovação de renda bruta per capita, ocupação, trabalho e emprego. Também é necessário apresentar cópias do RG, CPF, de documentos de identificação de todo o grupo família e da despesa familiar, além de cópias de comprovante de participação em Programas do Governo.

O Programa Moradia é destinado aos estudantes originários de outros centros urbanos ou rurais e que não tenham sido contemplados com espaço nos alojamentos do campus. O valor é de R$ 200,00 mensais, de março de 2016 a fevereiro de 2017. Já o Programa Alimentação é composto por duas modalidades: auxílio alimentação (R$ 70,00 mensais, de março a dezembro de 2016) e restaurante estudantil.

Direcionado aos alunos em vulnerabilidade social, o programa transporte não é oferecido a estudantes que já são beneficiados com outro tipo de auxílio do mesmo gênero. Este programa considera a distância entre domicílio e campus para determinar o valor oferecido, que pode ser de R$ 60,00 até R$ 100,00 mensais, de março a dezembro de 2016. A seleção será composta por análise da documentação e por entrevista com a Assistente Social.

O resultado parcial será divulgado até 24/02 e o prazo para interposição de recurso será nos dias 25 e 26/02.


Clique e acesse o Edital e seus Anexos .

Fonte: Clébio Melo – Jornalista do IFPB / Campus Sousa

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

"Tempos Modernos" completa 80 anos.


Foi a 5 de fevereiro de 1936 que o mundo conheceu um dos filmes mais significativos da carreira de Charlie Chaplin e uma das obras-primas do cinema mundial.

A estreia de "Tempos Modernos" foi aguardada, na altura, com muita expectativa. Chaplin, enquanto realizador, prometia uma "história da revolução industrial, de conquista pessoal, uma cruzada humana em busca da felicidade".

Considerado um dos melhores filmes da história do cinema, Tempos Modernos, de Charles Chaplin, era lançado no dia 05 de fevereiro no ano de 1936, no Teatro Rivoli, em Nova York. A obra levou três anos para ser realizada pelo cineasta britânico, em que o seu famoso personagem "O Vagabundo" (The Tramp) tenta sobreviver no mundo moderno e industrializado.



É considerado uma forte crítica as condições de trabalho impostas aos operários no inicio do século XX, bem como uma crítica aos maus tratos que os empregados passaram a receber depois da Revolução Industrial. Teceu criticas aos modelos de desenvolvimento flexionados ao capitalismo, stalinismo, nazi-fascismo e ao imperialismo nas dações que estavam ascendendo na década de 30.

Nessa obra Chaplin buscou transmitir mensagens sociais à todos os povos que estavam sofrendo com os regimes antidemocráticos. Cada cena é trabalhada para que a mensagem chegue verdadeiramente tal qual seja. E nada parece escapar: máquina tomando o lugar dos homens, as facilidades que levam a criminalidade, a escravidão. O amor também surge, mas surge quase paternal: o de um vagabundo por uma menina de rua.




Tempos Modernos é ao mesmo tempo comédia, mesmo tempo drama e romance. Apesar de aclamado pela crítica, não recebeu sequer uma indicação ao Oscar. Tempos Modernos também é considerado o último filme mudo da história, antes do lançamento de O Artista (2011), filme francês ganhador de cinco estatuetas do Oscar – apesar disso, o filme de Chaplin possui algumas falas, como no momento em que ele canta uma música misturando italiano, francês e espanhol.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

A misteriosa pedra do Ingá.




A Pedra do Ingá é um monumento arqueológico, identificado como "itacoatiara", constituído por um terreno rochoso que possui inscrições rupestres entalhadas na rocha, localizado no município brasileiro de Ingá no estado da Paraíba.

O termo "itacoatiara" vem da língua tupi: itá ("pedra") e kûatiara ("riscada" ou "pintada"). De acordo com a tradição, quando os índios potiguaras que habitavam a região foram indagados pelos colonizadores europeus sobre o que significavam os sinais inscritos na rocha, usaram esse termo para se referir aos mesmos.

A formação rochosa em gnaisse cobre uma área de cerca de 250 m². No seu conjunto principal, um paredão vertical de 50 metros de comprimento por 3 metros de altura, e nas áreas adjacentes, há inúmeras inscrições cujos significados ainda são desconhecidos. Neste conjunto estão entalhadas figuras diversas, que sugerem a representação de animais, frutas, humanos e constelações como a de Órion.

O sítio arqueológico fica a 109 Km de João Pessoa e 38 Km de Campina Grande. O acesso ao município dá-se pela BR 230, onde há uma entrada para a PB 90, na qual após percorrer 4,5 Km chega-se ao núcleo urbano da cidade. Atravessando a avenida principal da cidade, percorrem-se mais 5 Km por estrada asfaltada até se chegar ao Sítio Arqueológico da Pedra do Ingá. No local há um prédio de apoio aos visitantes com banheiros, e as instalações de um museu de História Natural, com vários fósseis e utensílios líticos encontrados na região onde hoje fica a cidade.


Painel principal

O sítio arqueológico está numa área outrora privada, que foi doada ao Governo Federal brasileiro e posteriormente tombada como Monumento Nacional pelo extinto Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (atual IPHAN) a 30 de novembro de 1944.

Figura em forma de espiral com seta inscrita apontando para o poente no painel superior da Pedra do Ingá.

O sítio das Itacoatiaras do Rio Ingá congrega o mais representativo conjunto conhecido desse tipo de gravura no Brasil, que se notabiliza pelo uso quase exclusivo de representações não figurativas na composição de grandes painéis de arte rupestre, exprimindo o gênio criativo de um grupo humano que se apropriou de padrões estéticos abstratos como forma de expressão, e possivelmente, de conceitos simbólico-religiosos, diferentemente de outras culturas que, em sua maioria, utilizaram-se de representações antropomórficas e zoomórficas.

Constelações de Órion

Destruição causada pela ação da natureza e  humana


Aos poucos os petróglifos da Pedra do Ingá vem sofrendo depredações devido à destruição causada pela ação da natureza e principalmente humana; no painel inferior, no painel central, apresentam danos que corroeram as gravuras da Pedra do Ingá, auxiliando, assim, para destruição deste patrimônio nacional, que deve ser preservado a todo custo para que as futuras gerações vejam o que os antepassados do Brasil foram capazes de realizar com materiais tidos como inadequados para a confecção destas gravuras. Tendo em mente que o Ingá não é só um bem nacional e sim mundial que devido à riqueza de seus símbolos e a complexidade que foram feitas, estes petróglifos devem ser apresentados a todo o mundo, mostrando assim a habilidade artística que nossos antepassados apresentavam durante a Pré-História.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

O vale dos dinossauros do Sertão.


    Portão de entrada do Vale dos Dinossauros, atrativo turístico e histórico do sertão paraibano, a mais de 400 km de João Pessoa.

O Vale dos Dinossauros é uma unidade de conservação no estado da Paraíba, criada em 27 de dezembro de 2002 pelo Decreto Estadual N.º 23.832. Um dos mais importantes sítios paleontológicos existentes, onde registra-se a maior incidência de pegadas de dinossauros no mundo.

Compreende uma área de mais 1.730 km², abrangendo aproximadamente 30 localidades no alto sertão da Paraíba (Brasil), entre elas os municípios de Sousa, Aparecida, Marizópolis, Vieirópolis, São Francisco, São José da Lagoa Tapada, Santa Cruz, Santa Helena, Nazarezinho, Triunfo, Uiraúna, Cajazeiras. Os registros mais importantes estão no município de Sousa, distando 7 km da sede do município. O acesso é feito pela PB-391 sentido Sousa/Uiraúna.

     Impressionantes pegadas pré-históricas como as do iguanodonte herbívoro, um animal de 3 metros e que chegava a pesar 4 toneladas, e de ferozes carnívoros como o velociraptor ou o pterossauro.

Os fósseis mais importantes estão na Bacia do Rio do Peixe, município de Sousa, a 420 km de João Pessoa. Lá, encontram-se rastros e trilhas fossilizadas de mais de 80 espécies em cerca de 20 níveis estratigráficos. Destacam-se as trilhas das localidades da Passagem das Pedras, onde foram descobertas os primeiros indícios de dinossauros brasileiros, no fim do século XIX.

    O Vale dos Dinossauros possui pequenas trilhas que dão acesso a passarelas de observação de pegadas fossilizadas de animais com mais de 100 milhões de anos.

É possível encontrar vestígios desse tempo pré –histórico em toda a região. Rastros fossilizados cujo tamanho varia de 5 cm (de um dinossauro do tamanho de uma galinha), até 40 cm, como as pegadas de iguanodonte de 4 toneladas, 5 metros de comprimento e 3 metros de altura. A maioria das pegadas são de dinossauros carnívoros. Uma trilha com 43 metros em linha reta é a mais longa que se conhece no mundo. De acordo com os paleontólogos, esses rastros têm pelo menos 143 milhões de anos.

Os primeiros a encontrar as inscrições foram os moradores nativos da região, que deram ao lugar o nome de Serrote do Letreiro. Depois, vieram os cientistas e perceberam que, ao lado delas, havia marcas de dinossauros. Foram identificadas 23 espécies em uma área de 704 quilômetros quadrados.

As pegadas mais nítidas do Vale são de um Iguanodonte, um herbívoro de cinco metros de altura, três de comprimento e quatro toneladas. Ao todo, são 43 marcas; 53 metros de uma ponta à outra.



Existe também (embora em menor quantidade), marcas petrificadas de gotas de chuva, plantas fósseis, ossadas parciais de animais pré-históricos e pinturas rupestres feitas pelos antigos habitantes. Estas últimas localizam-se principalmente no Serrote do Letreiro (em Sousa) e Serrote da Miúda (nos municípios de São Francisco e Santa Cruz).

Toda a infraestrutura do local foi restaurada, incluindo o museu, quiosques, passarelas, mirantes de observação e a Casa do Pesquisador. Também foram incluídas no projeto a construção de uma lanchonete, a urbanização das áreas de circulação dos turistas e a contratação de dois consultores para reformular a exposição permanente que é apresentada no prédio principal.



O Monumento Nacional do Vale dos Dinossauros possui sete trilhas, que terminam na mata. A maior atração turística dessa área do sertão paraibano tem entrada livre e sinalizada. É preciso seguir uma estradinha de terra até a sede do Vale, onde há um museu com artes dos animais que viveram na região.


      Réplicas de dinossauros feitas com fibra podem ser observadas no interior do Vale dos Dinossauros, atração turística do sertão paraibano.




O vale dos dinossauros sem dúvida alguma é um dos lugares que merece ser visitado, não só pelo lado turístico mais também por sua importância histórica de um época em que a terra era ocupada por grandes repteis e por uma flora totalmente diferente da conhecida hoje. É importante ressaltar que está perto dos brasileiros que muitas vezes preferem viajar para o exterior a contemplar suas próprias particularidades locais.

Fontes: Uol
             Observatório Histórico  Geográfico