Ultimas Novidades

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Os 70 anos do lançamento das bombas em Hiroshima e Nagasaki.



As duas maiores atrocidades humanas da história completam 70 anos, no dia 6 em Hiroshima e 9 de agosto em Nagasaki.



A primeira explosão de uma bomba atômica na história da humanidade aconteceu no dia 6 de agosto de 1945, uma segunda-feira. A bomba foi lançada sobre o centro da cidade de Hiroshima às 8h15 da manhã. Como o horário comercial começava às 8h da manhã, muitas pessoas foram atingidas em fábricas e escritórios. A bomba, chamada pelos norte-americanos de Little Boy, continha 50 quilos de urânio 235, com potencial destrutivo equivalente a 15 mil toneladas de TNT. O calor liberado pela bomba foi de 100 calorias/cm² no grau zero, 56 calorias/cm² a 500 metros e 23 calorias/cm² a mil metros do centro da explosão.



Nagasaki foi atingida no dia 9 de agosto, às 11h02 da manhã. Inicialmente o plano do exército americano era de jogar a bomba sobre Kokura, Fukuoka. Mas o tempo nublado impediu que o piloto visualizasse a cidade, e decidiu-se pela segunda opção. Nagasaki não era considerado um alvo ideal porque é rodeada por montanhas, o que diminuiria o poder destrutivo. A bomba, chamada Fat Boy, era de plutônio 239, com potência equivalente a 22 mil toneladas de TNT, ou seja, 1,5 vez mais potente que a bomba jogada sobre Hiroshima. Como a bomba foi jogada às pressas, sem ter um alvo definido, o centro da explosão ficou a 3 quilômetros do centro da cidade.

Hoje, as ruínas do edifício comportam o Memorial da Paz, que é visitado por cerca de 11 milhões de pessoas todos os anos. Desse total, 650 mil correspondem a turistas de fora do Japão.



"Por muito tempo eu não tive vontade de visitar o prédio. Quando ele recebeu o título da Unesco é que pensei em voltar ao local. Mas, mesmo assim, ainda não queria ver o prédio destruído", lembra Kimie Mihara, de 89 anos, que, apesar de possuir uma aparência frágil, demonstra muita lucidez.


Em 1961, a prefeitura de Hiroshima decidiu manter as ruínas do prédio como uma lembrança daquele triste momento, e, em 1996, a edificação histórica recebeu o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, da Unesco, como forma de chamar a atenção do mundo para a necessidade de paz e de acabar com as armas nucleares.

Nenhum comentário :

Postar um comentário