Ultimas Novidades

domingo, 29 de março de 2015

MAMA ÁFRICA é o tema do mês de abril do Projeto Africanidades.





Durante todo o mês de abril os alunos do 9º ano da Escola Municipal “Maria Marques de Assis” irá ter a oportunidade conhecer diversos aspectos a história da África e desenvolver trabalhos voltado sobre diversas temáticas envolvendo a importância dos africanos na contribuição na formação da história e cultura brasileira.

Estudar o continente africano nos faz perceber que a cultura africana está muito presente em nosso cotidiano (literatura, religiões,  música, artesanato, culinária etc..).

 A primeira temática do projeto dará a oportunidade aos alunos de conhecer o berço da civilização, como também desmistificar a imagem negativa que está permeada em nosso imaginário onde vemos África como um país onde existe apenas pobreza e miséria e na verdade é um continente riquíssimo com diversos países cada qual com suas características e muitos até bem desenvolvidos.

Iremos destacar também assuntos relacionados aos reinos africanos, grupos linguísticos, religiões, arte, danças , escravidão, imperialismo e suas consequências.

Negar a cultura africana seria negar nossa própria identidade!



quinta-feira, 26 de março de 2015

Apresentação do Projeto Africanidades na Escola Municipal "Maria Marques de Assis".




No dia 26 de março foi o Lançamento do Projeto Africanidades na Escola Municipal “Maria Marques de Assis”. O foco principal do projeto é oferecer uma  educação voltada para consciência da importância do negro para a constituição e identidade da nação brasileira e principalmente, do respeito à diversidade humana e a abominação do racismo e do preconceito.


 O projeto Africanidades será desenvolvido a partir do mês de abril e a culminância do projeto será no mês de novembro durante a semana da consciência negra. 

O Projeto irá tratar da importância e valorização da cultura negra dentro da escola, criando espaços para manifestações artísticas que proporcionem reflexão crítica da realidade e afirmação positiva dos valores culturais negros pertencentes a nossa sociedade, avançando e articulando a lei nº 10.639/2003.



 O trabalho terá um cronograma de ações didáticas mensais a serem definidas, onde os alunos trabalharão uma temática relacionada a História e cultura da África e dos afrodescendentes.



Agradeço a todos os alunos que receberam com entusiasmo a ideia de trabalharmos com essa temática e tenho certeza que unidos faremos um ótimo trabalho no combate ao preconceito e racismo no ambiente escolar e na sociedade.

Professor Tarcivan



quinta-feira, 19 de março de 2015

Ganhador da Promoção Publicação Premiada do mês de março de 2015.




O Blog do professor Tarcivan sorteou  entre os alunos participantes da promoção Publicação Premiada um Box ALMANAQUE DOS 100 ANOS (10 Dvds) sobre os ventos mais significativos do século 20.

O sorteio foi realizado dia 19 de março às 19:01 horas e o ganhador foi o aluno  Ramon Pereira de Sousa do  9 ano A da Escola Municipal “ Maria Marques de Assis”.  



Comentário:


                  
A Publicação Premiada é uma promoção onde os alunos durante todo o ano letivo poderão participar das promoções e ao mesmo tempo compartilhar conhecimentos relacionado a disciplina de História.

Entrega da premiação. Dia: 20/03/2015

Agradeço a todos os alunos que participaram desta primeira promoção e espero reencontrá-los no próximo desafio. Obrigado!

Parabéns, Ramon!



sexta-feira, 13 de março de 2015

Aprendendo História no Laboratório de Informática.



Hoje (13) os alunos do 6º, 7º e 9ºAno do ensino fundamental da Escola Municipal “Maria Marques de Assis” utilizaram o laboratório de informática  como recurso pedagógico complementar para revisar os conteúdos trabalhados durante no 1º Bimestre.

Os temas foram os seguintes:

6ºAno -  Pré História
7ºAno – Feudalismo
9ºAno – Revolução Industrial

Na oportunidade, os alunos tiveram acesso aos slides que está disponível no Blog ( tarcivan.com ), onde visualizaram textos, imagens, mapas, gravuras, linha do tempo e mapa conceitual.

O uso adequado da tecnologia no ambiente escolar é de extrema importância, pois facilita a aprendizagem dos alunos tornando-os mais críticos e criativos.






Professor Tarcivan


Alunos da Escola Municipal "Janduhy Carneiro" expõe cartazes sobre os avanços e transformações no século XX.

A evolução científica e tecnológica marcou o Século XX. Foi a época das guerras mundiais e da bomba atômica, e também do automóvel, do avião, das viagens espaciais, da eletrônica, dos transplantes, da clonagem e da Internet. Uma época marcada pelo do fim dos impérios colonialistas, pela internacionalização da economia, pela indústria cultural, pelo resgate dos direitos da mulher e das minorias.

Hoje (13) foi apresentado pelos alunos do 9º Ano da Escola Municipal “Janduhy Carneiro” confeccionaram cartazes e expuseram temas de grande relevância para o entendimento sobre os avanços e transformações no século XX. A escolha das imagens, confecção e exposição catarses serviram de referencial para debatermos diversos temas de estima importância para o entendimento do contexto político, econômico e social desse período e suas consequências para a sociedade atual.

Temas:

·        Meios de transporte
·        Meios de comunicação
·        As ciências biológicas
·        Automação das máquinas
·        Guerras Mundiais
·        As conquistas da cidadania
·        Desigualdades sociais

·        Desenvolvimento sustentável.





quarta-feira, 11 de março de 2015

Morte de Anne Frank completa 70 anos .



Nesta quinta-feira (12), completa 70 anos da morte de Anne Frank (1929 - 1945), judia que morreu aos 15 anos no campo de concentração. Sua história ficou conhecida através do livro Diário de Anne Frank, publicado em 1947.

Durante o tempo em que ficou escondida, Anne manteve um diário no qual registrava seus medos, esperanças e experiências. Miep Gies, uma das pessoas que havia ajudado a família a esconder-se, encontrou o diário depois que Anne foi presa e o guardou para entregar posteriormente, mas Anne nunca retornou, pois havia sido assassinada pela brutalidade nazista contra os judeus. O livro foi publicado em diversas línguas após o fim da guerra, e ainda é usado em milhares de escolas européias e norte-americanas. Anne Frank tornou-se o símbolo da perda do potencial de todas as crianças que morreram no Holocausto.

 O Diário de Anne Frank é uma das obras literárias mais populares do mundo. Escrito durante os 25 meses que a garota passou escondida com sua família no “Anexo Secreto”, o livro já foi traduzido para cerca de 70 idiomas.


O diário de Anne Frank traz impressionantes relatos das atrocidades e horrores cometidos contra os judeus. O diário destaca sentimentos, aflições e pequenas alegrias de uma vida incomum, problemas da transformação da menina em mulher, o despertar do amor, a fé inabalável na religião e, principalmente, revela a rara nobreza de um espírito amadurecido no sofrimento.

terça-feira, 10 de março de 2015

70 anos do bombardeio mais mortal da história da humanidade.



Há 70 anos, na noite entre os dias 9 e 10 de março, 334 bombardeios B-29 lançavam milhares de bombas incendiárias sobre Tóquio.

Ataque à capital do Japão é considerado o bombardeio mais mortal da história, mas hoje é pouco lembrado até mesmo entre os próprios japoneses.

Estas bombas deram início a um incêndio que matou mais de 100 mil pessoas.

Foi um evento mais mortal que o bombardeio a Hiroshima, que matou cerca de 80 mil pessoas instantaneamente em agosto daquele mesmo ano. A bomba atômica sobre Nagasaki, por sua vez, matou cerca de 50 mil instantaneamente.

Apesar das proporções, o bombardeio contra Tóquio foi praticamente esquecido ao redor do mundo e até mesmo no Japão.


Fonte: BBC

sábado, 7 de março de 2015

Por que 8 de março é o Dia Internacional da Mulher?




As histórias que remetem à criação do Dia Internacional da Mulher alimentam o imaginário de que a data teria surgido a partir de um incêndio em uma fábrica têxtil de Nova York em 1911, quando cerca de 130 operárias morreram carbonizadas. Sem dúvida, o incidente ocorrido em 25 de março daquele ano marcou a trajetória das lutas feministas ao longo do século 20, mas os eventos que levaram à criação da data são bem anteriores a este acontecimento.

Desde o final do século 19, organizações femininas oriundas de movimentos operários protestavam em vários países da Europa e nos Estados Unidos. As jornadas de trabalho de aproximadamente 15 horas diárias e os salários medíocres introduzidos pela Revolução Industrial levaram as mulheres a greves para reivindicar melhores condições de trabalho e o fim do trabalho infantil, comum nas fábricas durante o período.

O primeiro Dia Nacional da Mulher foi celebrado em maio de 1908 nos Estados Unidos, quando cerca de 1500 mulheres aderiram a uma manifestação em prol da igualdade econômica e política no país. No ano seguinte, o Partido Socialista dos EUA oficializou a data como sendo 28 de fevereiro, com um protesto que reuniu mais de 3 mil pessoas no centro de Nova York e culminou, em novembro de 1909, em uma longa greve têxtil que fechou quase 500 fábricas americanas.

Em 1910, durante a II Conferência Internacional de Mulheres Socialistas na Dinamarca, uma resolução para a criação de uma data anual para a celebração dos direitos da mulher foi aprovada por mais de cem representantes de 17 países. O objetivo era honrar as lutas femininas e, assim, obter suporte para instituir o sufrágio universal em diversas nações.



Com a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) eclodiram ainda mais protestos em todo o mundo. Mas foi em 8 de março de 1917 (23 de fevereiro no calendário Juliano, adotado pela Rússia até então), quando aproximadamente 90 mil operárias manifestaram-se contra o Czar Nicolau II, as más condições de trabalho, a fome e a participação russa na guerra - em um protesto conhecido como "Pão e Paz" - que a data consagrou-se, embora tenha sido oficializada como Dia Internacional da Mulher, apenas em 1921.

Somente mais de 20 anos depois, em 1945, a Organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo internacional que afirmava princípios de igualdade entre homens e mulheres. Nos anos 1960, o movimento feminista ganhou corpo, em 1975 comemorou-se oficialmente o Ano Internacional da Mulher e em 1977 o "8 de março" foi reconhecido oficialmente pelas Nações Unidas.



"O 8 de março deve ser visto como momento de mobilização para a conquista de direitos e para discutir as discriminações e violências morais, físicas e sexuais ainda sofridas pelas mulheres, impedindo que retrocessos ameacem o que já foi alcançado em diversos países", explica a professora Maria Célia Orlato Selem, mestre em Estudos Feministas pela Universidade de Brasília e doutoranda em História Cultural pela Universidade de Campinas.


No Brasil, as movimentações em prol dos direitos da mulher surgiram em meio aos grupos anarquistas do início do século 20, que buscavam, assim como nos demais países, melhores condições de trabalho e qualidade de vida. A luta feminina ganhou força com o movimento das sufragistas, nas décadas de 1920 e 30, que conseguiram o direito ao voto em 1932, na Constituição promulgada por Getúlio Vargas. A partir dos anos 1970 emergiram no país organizações que passaram a incluir na pauta das discussões a igualdade entre os gêneros, a sexualidade e a saúde da mulher. Em 1982, o feminismo passou a manter um diálogo importante com o Estado, com a criação do Conselho Estadual da Condição Feminina em São Paulo, e em 1985, com o aparecimento da primeira Delegacia Especializada da Mulher.

Fonte: Revista Escola

sexta-feira, 6 de março de 2015

Exposição de cartazes sobre os avanços e transformações durante o século XX.




O século XX foi um período de profundas mudanças do modo de vida das pessoas. Foi nesse século que configuraram diversos aspectos do mundo em que vivemos atualmente, tais como a globalização, que possibilitou a interação entre os povos de várias partes do mundo, e a aceleração do processo histórico, que promoveu grandes transformações no mundo em um curto espaço de tempo.

Durante a semana os alunos do 9º Ano da Escola Municipal “Maria Marques de Assis” confeccionaram cartazes e expuseram temas de grande relevância para o entendimento sobre os avanços e transformações no século XX. A escolha das imagens, confecção e exposição catarses serviram de referencial para debatermos diversos temas de estima importância para o entendimento do contexto político, econômico e social desse período e suas consequências para a sociedade atual.

Temas:

·        Meios de transporte
·        Meios de comunicação
·        As ciências biológicas
·        Automação das máquinas
·        Guerras Mundiais
·        As conquistas da cidadania
·        Desigualdades sociais
·        Desenvolvimento sustentável.




Estou muito orgulhoso de vocês.

Parabéns!


Professor Tarcivan

quarta-feira, 4 de março de 2015

Na Etiópia, cientistas acham mais antigo fóssil humano.


Fóssil de mandíbula descoberto na Etiópia. 

Cientistas anunciaram nesta quarta-feira a descoberta do fóssil de gênero humano mais antigo da História. Os vestígios de mandíbula deste exemplar de Homo habilis, encontrados na Etiópia, na África, têm cerca de 2,8 milhões de anos. Por décadas, pesquisadores procuravam por fósseis para documentar melhor o início da linhagem homo, mas os achados referentes a essa fase da evolução humana, entre 3 e 2,5 milhões de anos no passado, foram raros e estavam em estado de conservação precário demais para estudo.

 Os remanescentes são 400 mil anos anteriores ao que se imaginava ter sido a aurora do gênero homo, que evoluiu até chegar ao Homo sapiens, o ser humano atual, surgido há 200 mil anos. A mandíbula encontrada na região etíope de Afar, por outro lado, está em bom estado. O achado apresenta significativas mudanças morfológicas em relação ao fóssil mais recente de Australopithecus afarensis, 200 mil anos anterior à arcada dentária anunciada nesta quarta.

Australopithecus afarensis eram uma espécie de hominídeos, primatas parecidos com humanos. Os hominídeos antecederam o gênero homo, cujo primeiro representante é, justamente, o Homo habilis. O novo achado, segundo os cientistas responsáveis pela escavação disseram à BBC, dá pistas inéditas sobre "o período de transição mais importante na evolução humana".

A descoberta foi divulgada no site da revista "Science".

terça-feira, 3 de março de 2015

Câmara aprova projeto que regulamenta profissão de historiador.



Proposta determina quem pode exercer e quais as atividades próprias da profissão. Texto seguirá para o Senado.

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira proposta que regulamenta a profissão de historiador e estabelece os requisitos para seu exercício. Foi aprovado um substitutivo da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público para o Projeto de Lei 4699/12, do Senado. Devido às mudanças, a matéria retorna para análise dos senadores.

Segundo o substitutivo, do ex-deputado Policarpo, poderão exercer a atividade de historiador:

  • os portadores de diploma de curso superior em História, nacional ou estrangeiro com revalidação;
  • os portadores de diploma de mestrado ou doutorado em História;
  • os portadores de diploma de mestrado ou doutorado obtido em programa de pós-graduação reconhecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) com linha de pesquisa dedicada à História;
  • os profissionais diplomados em outras áreas que tenham exercido, comprovadamente, há mais de cinco anos, a profissão de historiador, a contar da data da promulgação da futura lei.

A Capes é uma fundação do Ministério da Educação (MEC) que atua na avaliação da pós-graduação stricto sensu e também em seu fomento por meio de bolsas.

Atribuições

Entre as atribuições dos historiadores, o substitutivo prevê o magistério da disciplina de História nas escolas de ensino fundamental e médio, desde que cumprida a exigência da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) quanto à obrigatoriedade da licenciatura.

O profissional poderá ainda planejar, organizar, implantar e dirigir serviços de pesquisa histórica; assessorar, organizar, implantar e dirigir serviços de documentação e informação histórica; e elaborar pareceres, relatórios, planos, projetos, laudos e trabalhos sobre temas históricos.


Fonte: Agência Câmara Notícia