Ultimas Novidades

domingo, 16 de junho de 2013

Tutankamon: a múmia mais famosa de todos os tempos.



Tutancâmon era filho da rainha Nefertiti e do Faraó Akhenaton.

Este jovem faraó casou-se com apenas 10 anos com sua meia-irmã, Ankhesebanon. Naquela época eram comuns casamentos entre parentes próximos.

Quando tinha apenas doze anos assumiu  o trono. Aos dezenove anos, no ano de 1324 a.C., faleceu não deixando nenhum herdeiro.


Ainda existem muitas dúvidas sobre a vida de Tutankamon. Foi o último faraó da 18ª dinastia. Durante seu curto período de governo, levou a capital do Egito para Memphis e retomou o politeísmo, que havia sido abandonado pelo pai Akhenaton. 

Em novembro de 1922 foi descoberto o túmulo de Tutancâmon , resultado dos esforços de Howard Carter e do seu mecenas, o aristocrata Lord Carnarvon. O túmulo encontrava-se inviolado em ligaduras, com excepção da antecâmara onde os ladrões penetraram por duas vezes, talvez pouco tempo depois do funeral do rei, mas por razões pouco claras ficaram-se por ali.
A câmara funerária foi aberta de forma oficial no dia 16 de Fevereiro de 1923. Estava preenchida por quatro capelas em madeira dourada encaixadas umas nas outras, que protegiam um sarcófago em quartzito de forma retangular  seguindo a tradição da forma dos sarcófagos da XVIII dinastia. Em cada um dos cantos do sarcófago estão representadas as deusas Ísis, Néftis, Neit e Selket.

Tutankamon

A importância atribuída para este faraó está relacionada ao fato de sua tumba, situada numa pirâmide no Vale dos Reis, ter sido encontrada intacta. Nela, o arqueólogo inglês Howard Carter encontrou, em 1922, uma grande quantidade de tesouros. O corpo mumificado de Tutankamon também estava na tumba, dentro de um sarcófago, coberto com uma máscara mortuária de ouro. O caixão onde estava à múmia do faraó também é de ouro maciço.

Sacórfago


Na tumba de Tutankamon foram encontradas mais de cinco mil peças. Entre os objetos estavam jóias, objetos pessoais, ornamentos, vasos, esculturas, armas, etc.



Durante a escavação da tumba de Tutankamon, alguns trabalhadores da equipe morreram de forma inesperada. Criou-se então a lenda da Maldição do Faraó. Na parede da pirâmide foi encontrada uma inscrição que dizia que morreria aquele que perturbasse o sono eterno do faraó. Porém, verificou-se depois que algumas pessoas haviam morrido após ter respirado fungos mortais que estavam concentrados dentro da pirâmide.

Capela funerária

No que diz respeito à causa da morte do faraó alguns afirmam que Tutankamom morreu vítima de assassinato com uma forte pancada na cabeça, porém em janeiro de 2005 a múmia foi retirada do seu sarcófago no túmulo do Vale dos Reis, tendo sido alvo de um exame no qual se recorreu à tomografia computadorizada (TC). Este exame, que teve uma duração de quinze minutos, gerou 1700 imagens.

Os novos exames descartaram a hipótese de morte por assassinato. O rei era um jovem saudável, tendo talvez falecido vítima de complicações associadas a uma fratura da perna direita provocada durante uma sessão de caça. Quanto ao osso encontrado no crânio julga-se que foi provocado por um erro durante o processo de embalsamento do corpo.

Em maio de 2005, egípcios, franceses e americanos reconstituíram sua face a partir de imagens de tomografia computadorizada. O rei Tut - como foi apelidado - era dentuço, tinha a parte posterior do crânio estranhamente alongada e o queixo retraído.



A descoberta do túmulo intacto de Tutancâmon é o principal acontecimento arqueológico do século XX. A tumba de Tutankhamon foi explorada por Howard Carter e sua equipe por cerca de 10 anos seguidos . A descoberta é de grande importância para a arqueologia no Egito pois foi a única tumba de rei, até a época da sua descoberta, encontrada quase que intacta.

Documentário: A Maldição de Tutankamon - Discovery Channel






terça-feira, 11 de junho de 2013

Morre aos 90 anos, Jacob Gorender, um dos maiores historiadores marxistas do Brasil



A esquerda perdeu nesta terça-feira, 11 de junho, o escritor Jacob Gorender, um dos maiores historiadores marxistas brasileiros. Foi militante comunista, permanecendo por quase três décadas no Partido Comunista Brasileiro (PCB), de onde saiu nos anos 60 para fundar o Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR).
Gorender foi preso durante o regime militar e tornou-se um dos mais respeitados intelectuais da esquerda brasileira. Entre seus trabalhos se destacam "O Escravismo Colonial", de 1978, "A burguesia brasileira", de 1981, e "Combates nas trevas", de 1987.

A sua obra mais conhecida é "Combate nas Trevas", considerada referência sobre a luta armada durante a ditadura militar, é baseada nessa experiência, que inclui a fundação PCBR (Partido Comunista Brasileiro Revolucionário), em 1968, ano em que deixou o PCB após 26 anos.
Na obra, Gorender conta que ele e os demais integrantes do PCB que se opunham a Luís Carlos Prestes foram expulsos no sexto Congresso do partido, em dezembro de 1967. A mesma resolução que excluiu Gorender também expulsou os militantes Carlos Marighella, Mário Alves, Joaquim Câmara Ferreira e Apolônio de Carvalho, entre outros.
Depois disso, Gorender se dedicou à criação do PCBR. A nova organização contava com Apolônio de Carvalho, veterano da Guerra Civil Espanhola, e Mário Alves, desaparecido desde 1970. No mesmo ano, ele acabou preso em São Paulo, período que durou dois anos e foi marcado por sessões de tortura.
Solto, passou a se dedicar mais à vida intelectual, com a publicação de vários livros e artigos, chegando a professor do Instituto de Estudos Avançados da USP.
"Objetivamente, a esquerda não tinha condições sequer mínimas para o enfrentamento pelas armas com a ditadura militar. O que conseguiu fazer, em termos concretos, foi protestar com atos de violência, em resposta à violência terrorista institucionalizada pelos generais", escreveu, no posfácio de "Combate nas Trevas".

Seus 90 anos de vida, completados no dia 20 de janeiro deste ano, foram boa parte dedicados aos estudos, às lutas políticas e a uma vasta produção acadêmica. Em seus diversos livros, artigos e ensaios, Gorender apresentou ideias até então inéditas sobre o Brasil e sua formação socioeconômica.
Fonte: Uol e Correio do Brasil.


terça-feira, 4 de junho de 2013

Escolas da rede municipal de Cajazeirinhas e São Domingos realizam a primeira fase da Olimpíada de matemática.



Os alunos da Escola Municipal “Janduhy  Carneiro” (Cajazeirinhas) e Escola Municipal “Maria Marques de Assis” ( São Domingos) , realizaram a primeira fase da Olimpíada Brasileira de Matemática para Escolas Públicas (OBMEP) nesta terça-feira (4).

As avaliações da Olimpíada foram aplicadas nas unidades de ensino inscritas anteriormente.

Participaram da competição apenas alunos do 6º ao 9º ano, do Ensino Fundamental.



As provas da 1ª fase foram realizadas no dia 4 de junho, em horário definido pelas próprias escolas. Os alunos de cada instituição que obtiverem o melhor desempenho na 1ª fase, segundo os critérios estipulados no regulamento, se classificam para a 2ª etapa, cujas provas serão no dia 14 de setembro, às 14h30, em locais a serem definidos.



No dia 29 de novembro, serão divulgados os premiados da Obmep 2013, sendo 500 medalhistas de ouro, 900 medalhistas de prata e 4.600 medalhistas de bronze, além de 46,2 mil ganhadores de menções honrosas. Os medalhistas serão convidados a participar do Programa de Iniciação Científica que será realizado em 2014.

 OBMEP – É um projeto que tem como objetivo estimular o estudo da Matemática e revelar talentos na área. Dentre as realizações, destaca-se a produção e distribuição de material, inclusive no site (www.obmep.org.br), o programa de iniciação científica jr. (PIC), para os medalhistas estudarem matemática por um ano, com bolsa conselho nacional de desenvolvimento científico e tecnológico (CNPq), a preparação especial para Competições Internacionais (PECI), que prepara medalhistas de ouro selecionados pela excepcionalidade de seus talentos para competições internacionais.


A Obmep é dirigida aos alunos de 6º ao 9º ano do ensino fundamental e aos estudantes do ensino médio de escolas públicas municipais, estaduais e federais, que concorrem a prêmios de acordo com o desempenho.