Ultimas Novidades

quinta-feira, 21 de março de 2013

Há 80 anos, Hitler chegava ao poder na Alemanha





No 80° aniversário da chegada de Adolf Hitler ao poder, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, pediu aos alemães que lutem por seus princípios e não caiam não complacência que permitiu ao ditador nazista assumir o controle do país. "O poder dos nazistas foi possível porque a elite da sociedade alemã trabalhou com eles mas, acima de tudo, porque a maior parte das pessoas toleraram esse poder", disse.

Após obter um terço dos votos na eleição alemã de 1932, Hitler convenceu o presidente Paul von Hindenburg a nomeá-lo chanceler em 30 de janeiro de 1993, colocando a Alemanha no caminho da guerra e do genocídio.

O fato de que Hitler conseguiu destruir a democracia da Alemanha em apenas seis meses serve de aviso hoje do que pode ocorrer se o público for apático, disse Merkel. "Os direitos humanos não se asseguram sozinhos, a liberdade não emerge sozinha e a democracia não é bem-sucedida sozinha", afirmou. "Uma sociedade dinâmica precisa de pessoas que tenham respeito umas com as outras, que se responsabilizem por si mesmas e pelos outros, pessoas que estão preparadas para aceitar críticas e oposição."





A mostra "Berlim 1933. No caminho para a ditadura" foi aberta ao público em um lugar polêmico da Segunda Guerra: a antiga sede da Gestapo, a polícia secreta do regime nazista. Na entrada, uma foto em preto e branco mostra Hitler fazendo o gesto de saudação do Terceiro Reich para uma multidão que o observava da janela da chancelaria após sua nomeação pelo presidente Paul von Hindenburg. O local deu origem à Topografia do Terror, um centro de documentação que reúne fotos, jornais e cartazes sobre os primeiros meses de Hitler no poder.




No mesmo dia da inauguração da mostra, deputados alemães recordaram a libertação do campo de concentração de Auschwitz, no dia 27 de janeiro de 1945, e homenagearam os mortos durante a ditadura nazista. As bandeiras da Alemanha e da União Europeia foram colocadas a meio mastro na frente do Parlamento.

Fontes:
AE - Agência Estado
O Globo


Nenhum comentário :

Postar um comentário